Comércio global de serviços aumentará em US$ 2 trilhões nos próximos cinco anos, de acordo com o novo relatório da Western Union e Oxford Economics

LONDRES 13/8/2020 –

As previsões da Western Union e da Oxford Economics projetam o valor do comércio internacional e transfronteiriço de serviços aumentando de US$ 6,1 trilhões em 2019 para US$ 8,0 trilhões em 2025 – um aumento de 31% no valorEntre as economias desenvolvidas, EUA, França e Reino Unido devem ver o maior aumento no valor do comércio internacional de serviços até 2025A adoção de novas tecnologias e digitalização de práticas de trabalho são susceptíveis de estimular ainda mais a recuperação econômica pós-pandemia e o crescimento do comércio internacional de serviçosA liberalização da política comercial pode gerar um aumento adicional de US$ 890 bilhões no valor dos serviços comercializados globalmente

A Western Union Company (NYSE: WU), líder em pagamentos e movimentação de dinheiro em moeda estrangeira, lança hoje um novo relatório, “The Global Services Trade Revolutions: Fuelling post-pandemic economic recovery and growth,” (As Revoluções do Comércio de Serviços Globais: alimentando o crescimento e a recuperação econômica pós-pandemia) em parceria com a Oxford Economics – líder em previsão global e análise quantitativa.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20200813005554/pt/

Comparison of global services export forecasts (Graphic: Business Wire)

Comparison of global services export forecasts (Graphic: Business Wire)

O relatório projeta o valor do comércio internacional de serviços* aumentando de US$ 6,1 trilhões em 2019 para US$ 8,0 trilhões em 2025, o que equivale a um aumento de quase um terço (31%) no valor dos fluxos globais nesse período.

Prevê-se que esse crescimento será acelerado pela adoção de novas tecnologias e digitalização das práticas de trabalho forçada pelo início da pandemia COVID-19 – que, combinada com uma mudança nas atitudes em relação às interações online, é provável que impulsione a recuperação econômica e o crescimento do comércio internacional de serviços nos próximos cinco anos.

O cenário de previsão central da Western Union Business Solutions e da Oxford Economics prevê uma recuperação econômica relativamente forte, mas também é possível que um cenário mais pessimista se desenrole, caracterizado por uma contração mais acentuada no curto prazo e uma recuperação mais prolongada e incompleta (ver o gráfico de comparação das previsões de exportação de serviços globais). Ainda assim, esse cenário apenas aumentaria o desempenho relativo dos serviços entregues digitalmente.

“Durante muito tempo, o setor de serviços globais foi subvalorizado e sua importância subestimada. Este relatório mostra que isso precisa mudar. O impacto econômico da COVID-19 será sentido nos próximos anos, mas podemos ver claramente que as regiões e indústrias que reconhecem e apreciam o valor dos serviços globais estarão em uma posição melhor para impulsionar o sucesso futuro e, finalmente, a recuperação”,disse Andrew Summerill, presidente de pagamentos da Western Union.

Divisão por setor

A análise sugere que, embora a economia global esteja sofrendo no curto prazo, o comércio de serviços digitais modernos se mostrará relativamente resistente durante a crise atual. Ele estima que o valor dos fluxos internacionais de B2B, TIC e serviços financeiros diminuirá apenas 6% em 2020, em comparação com o valor do comércio de bens, que diminuirá cerca de 13% (ver gráfico de Previsão de crescimento no comércio internacional de serviços para 2019-2025).

Enquanto isso, as categorias de serviços tradicionais mais afetadas, como o turismo, cairão cerca de 40% em 2020, enquanto o transporte aéreo de passageiros diminuirá mais de 50%. Como uma participação no comércio total de serviços, essas categorias devem cair para 39% em 2025 – abaixo dos 41% em 2019.

Divisão geográfica

O relatório também analisou essas tendências em oito grandes economias desenvolvidas, descobrindo que os serviços B2B serão o principal impulsionador do crescimento das exportações, com serviços financeiros também importantes para centros importantes como os EUA, Reino Unido, Hong Kong e Cingapura. Fora desta amostra, outros ‘hotspots’ previstos para o crescimento das exportações de serviços digitais no médio prazo incluem Coreia e Japão, Austrália e Nova Zelândia, e Qatar e Arábia Saudita.

Os EUA apresentarão o maior aumento geral nas exportações de serviços durante o período de previsão, o resultado de sua liderança global em muitas categorias de serviços profissionais, bem como seus investimentos em infraestrutura digital e inovação tecnológica (ver crescimento previsto nas exportações de serviços em 2019-2025 por país).

Além disso, estima-se que uma ampla liberalização multilateral das políticas comerciais de serviços poderia fornecer um aumento adicional de 11% ao valor do comércio global de serviços até 2025, o que equivaleria a um aumento de US$ 890 bilhões no valor dessas transações internacionais.

“A pandemia já sobrecarregou o crescimento dos serviços digitais e destacou o potencial dos serviços remotos para transcender as fronteiras globais. Na próxima década, veremos novos modelos de negócios redefinirem as possibilidades de transações internacionais. E, no curto prazo, o comércio global de serviços será um componente vital da recuperação, e serão as indústrias com foco digital que serão a força motriz”, acrescentou Summerill. O relatório, que visa iluminar a valiosa contribuição que o comércio global de serviços digitais traz para a economia agora e seu potencial para o futuro, revela que o comércio de serviços tem sido normalmente subvalorizado, quando comparado ao comércio de bens ou manufatura.

O relatório estima que os serviços representam atualmente mais da metade (55%) de todos os fluxos comerciais globais, o que equivale a US$ 13,7 trilhões de transações internacionais em 2019. As estatísticas oficiais indicam que a participação dos serviços no comércio total foi de 24% em 2019, ante 19% em 1995.1

“Nosso objetivo é defender as indústrias que impulsionam o crescimento econômico e a recuperação e fornecer suporte para impulsionar o crescimento do setor de serviços digitais”, concluiu Summerill.

Para acessar o relatório completo, clique aqui.

Nota sobre pesquisa e metodologia

A estrutura principal na qual a análise da Oxford Economics é conduzida é seu próprio Modelo Econométrico Global (Global Econometric Model, GEM). O GEM replica a economia mundial ao interligar 80 países, 6 blocos comerciais regionais e a zona do euro. Esses países estão interligados por meio do comércio internacional de bens e serviços, competitividade (medida pelos custos unitários do trabalho ajustados pela taxa de câmbio), mercados de capitais, taxas de juros e preços de commodities. Dados históricos e previsões são atualizados mensalmente pelos economistas de nosso país.

*Definições de comércio internacional de serviços utilizadas para este estudo:

  • Serviços business-to-business (B2B): Serviços profissionais (por exemplo, engenharia, jurídico) e taxas de royalties e licença (por exemplo, taxas pelo uso de tecnologia patenteada).
  • Serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC): Serviços relacionados a computadores (por exemplo, desenvolvimento de software) e dispositivos de comunicação (por exemplo, serviços de telefone).
  • Serviços financeiros: Atividades do setor financeiro, incluindo bancos, seguros e gestão de ativos.
  • Transporte e distribuição: Serviços relacionados ao movimento internacional de mercadorias (por exemplo, transporte marítimo, carga aérea e transporte rodoviário e ferroviário transfronteiriço) ou transporte de pessoas (por exemplo, serviços de passageiros aéreos).
  • Turismo e viagens: Gastos de visitantes temporários em outro país para lazer, negócios ou outros fins, como educação ou turismo médico (as exportações são definidas como fluxos de turismo receptivo).
  • Construção Civil: Serviços de construção / demolição de edifícios e outras estruturas, bem como instalações e reparações de edifícios.
  • Serviços públicos: Serviços encomendados pelo setor público.

Sobre a Western Union

A Western Union Company (NYSE: WU) é líder global em movimentação internacional de fundos em múltiplas moedas. Nossa plataforma omnicanal conecta os mundos digital e físico, e possibilita que consumidores e empresas enviem e recebam fundos, e façam pagamentos de modo rápido, fácil e confiável. Em 30 de junho de 2020, nossa rede contava com mais de 550 mil agências de varejo que oferecem serviços de nossas marcas em mais de 200 países e territórios, com a capacidade de enviar dinheiro a bilhões de contas. Além disso, o site westernunion.com, nosso canal de mais rápido crescimento em 2019, está disponível em mais de 75 países e outros territórios para movimentar dinheiro em todo o mundo. Com alcance global, a Western Union movimenta fundos para conectar melhor famílias, amigos e empresas, permitir inclusão financeira e apoiar o crescimento econômico. Para obter mais informações, acesse www.westernunion.com.

Sobre a Oxford Economics

A Oxford Economics é líder em previsão global e análise quantitativa. Nossa base de clientes em todo o mundo compreende mais de 1.500 empresas internacionais, instituições financeiras, organizações governamentais e universidades.

Com sede em Oxford e escritórios em todo o mundo, empregamos 400 funcionários, incluindo 250 economistas e analistas. Nossos melhores modelos globais de economia e indústria e ferramentas analíticas nos dão uma capacidade incomparável de prever tendências de mercado externo e avaliar seu impacto econômico, social e comercial.

1 Estimativas da Oxford Economics com base no banco de dados OECD Trade in Value-Added (TiVA), juntamente com atividades de serviços dentro das empresas de manufatura, conforme relatado em Miroudot e Cadestin (2017), “Services in Global Value Chains: From Inputs to Value-Creating Activities”, Documentos de Política Comercial da OCDE No. 197

Contato:

Cristina Hoole

Western Union

Celular: +44-(0)7766 070978

Cristina.Hoole@wu.com

Fonte: BUSINESS WIRE

Web Site: