Levantamentos indicam empresas atentas, mas conservadoras, frente ao coronavírus

São Paulo 16/3/2020 – Aconselhamos às empresas a revisão das metas para que os incentivos normalmente oferecidos às equipes pelo seu desempenho não fiquem inatingíveis.

São Paulo, 15 de março – Dois levantamentos conduzidos pela consultoria de remuneração SG Comp Partners junto a CEOs, diretores e executivos de seus clientes nas últimas três semanas apuraram que o coronavírus chegou às mesas de diretoria. Algumas medidas práticas já estão sendo tomadas.

Na semana iniciada em de 8 de março clientes falaram à SG Comp como estão se posicionando em relação à pandemia. As cúpulas das empresas ouvidas debateram em comitês de crise – ou em reuniões extraordinárias – temas como novos protocolos e planos de ação a serem adotados para evitar o contágio em suas operações, campanhas de educação, cancelamento de viagens, reuniões com muitos participantes e eventos, bem como a orientação para uma rígida contenção de gastos. Há apenas duas semanas, outra enquete com o mesmo tema com 38 empresas, registrou uma percepção generalizada de que a pandemia, àquele momento, estava sendo sobrevalorizada.

Contenção de despesas e war room

Segundo Ricardo Guterres, sócio da SG Comp Partners, os executivos ouvidos nos levantamentos operam em estado de alerta, em particular os que temem uma possível interrupção de envio de insumos vindos da China.
“Temos uma orientação enfática vinda da nossa matriz na Europa para conter os custos”, afirma um alto executivo de uma empresa internacional de eventos. Já, em uma empresa do segmento de turismo, setor particularmente vulnerável a momentos de pandemia, a direção não cogita rever metas, mas conta com um “war room” preparado para eventuais ações emergenciais e contingenciais que se façam necessárias, informa o sócio da consultoria de remuneração.

Até aqui, dentre as 84 empresas consultadas, uma única organização reportou estar revendo suas metas econômico-financeiras para o ano. “Seremos obrigados a revisar nossas metas, pois somos uma empresa que depende de matéria-prima. Com esse dólar, sem chance (de cumprirmos o que foi pré-estabelecido)”, relata um diretor de uma fabricante de insumos industriais à consultoria.

Incentivos em um quadro de crise
O sócio da SG Comp Partners alerta, contudo, para a necessidade de as empresas ampliarem a pauta da discussão da crise do coronavírus levando em conta a remuneração da alta cúpula, que viverá momentos de grande estresse nas próximas semanas.

“Aconselhamos aos nossos clientes que tenham em mente uma possível revisão das metas para que os incentivos normalmente oferecidos às equipes pelo seu desempenho não fiquem inatingíveis e percam seu efeito prático”, explica. Segundo o consultor, períodos de grandes desafios demandam de todos grandes esforços, em particular, dos líderes de empresas. “E, tendo em vista a alta volatilidade econômica do momento, seja em função do coronavírus, seja em função da queda nas bolsas, esse seria um momento típico para uma revisão dos planos de incentivos por atingimento de metas”, recomenda ele.

Por enquanto, no entanto, prevalece entre as empresas uma postura conservadora. “Um dos diretores com quem falei foi enfático. Ele teme que, se a empresa passar a mencionar que estuda mudar as metas, nem a meta revista será entregue pela equipe”, relata.

Sobre a SG Comp Partners
A SG Comp Partners é uma boutique de remuneração especializada em criar e implementar programas de remuneração. Combina uma visão estratégica com o conhecimento sobre pessoas para desenhar soluções sob medida para os diferentes desafios de negócios. Fundada em 2004, possui sede em São Paulo e atendeu a mais de 280 clientes nacionais e internacionais, de capital aberto e fechado, de diversos segmentos empresariais, envolvendo-se em mais de 750 projetos.

Para mais informações, contate:

Evocar Comunicação e Conteúdo
Ana Cecilia Americano
ana.americano@e-vocar.com
www.e-vocar.com
Tels: 4780-3677
Cel: 9.6852-9623

Website: http://www.e-vocar.com

Web Site: