SICK lança novos sensores fotoelétricos inteligentes

A multinacional alemã traz para o mercado duas novas famílias de sensores fotoelétricos: W16 e W26

Acreditamos que esses produtos, que estamos chamando de Smart Sensors, sejam os sensores ideais para a Indústria 4.0.

Local: Nacional

Data: 14/03/2018

Empresa líder na fabricação de sensores inteligentes, a SICK fez seu primeiro grande lançamento de 2018. Os produtos, apresentados mundialmente no último dia 26 de fevereiro por todas as subsidiárias do grupo, chegam para atender a demanda da indústria por detecção aprimorada e conectividade.

Diferente dos produtos já existentes no mercado, o lançamento da SICK vai além da comunicação comum, oferecendo a solução para os problemas mais difíceis que o mercado industrial enfrenta atualmente.
Com fácil usabilidade, proporcionando uma configuração simples e rápida, os novos sensores utilizam a tecnologia blue pilot, com auxílio de alinhamento óptico e ajuste da distância de comutação por meio de um elemento de pressão e giro, com indicação da distância de comutação no próprio produto ou via IO-Link.

Os sensores possuem estrutura robusta, feita de VISTAL, uma liga de plástico e fibra de vidro desenvolvida pela SICK, permitindo sua instalação em ambientes agressivos e tornando-os mais resistentes a influências mecânicas ou químicas.

As famílias de sensores W16 e W26 são ideais para processos que necessitam de alta precisão de detecção, como objetos brilhantes ou irregulares. Entre os setores que mais utilizam estes sensores estão as indústrias automotiva e de bens de consumo, mas, graças a sua estrutura - com dois tamanhos diferentes, podendo ser adaptados de acordo com a demanda - estão aptos a atender todos os segmentos de automação industrial.
"São pouquíssimos os sensores que conseguem identificar problemas com objetos brilhantes, perfurados ou transparentes com confiabilidade, principalmente se eles aparecem combinados. E, com isso, notamos uma grande demanda de clientes que necessitam de uma solução eficaz para o seu processo de detecção", afirma o gerente nacional de produtos, André Burati.

Os novos sensores fotoelétricos da SICK chegam para oferecer a mais alta segurança de operação, independente de quaisquer interferências concebíveis. Além disso, as informações adicionais fornecidas pelos produtos podem ser utilizadas para simplificar os fluxos de produção.

"Acreditamos que esses produtos, que estamos chamando de Smart Sensors, sejam os sensores ideais para a Indústria 4.0, pois eles tornam os processos da máquina mais rápidos, eficientes e transparentes, além de possibilitarem manutenção preditiva", completa Burati.

Sobre a SICK

Fundada em 1946, na Alemanha, a empresa está presente no mundo inteiro com mais de 80 subsidiárias e participações, bem como numerosas representações. Contando com mais de 8 mil funcionários no mundo todo, a SICK registrou um faturamento global de quase 1,5 bilhões de euros em 2017.

No Brasil desde 1995, a empresa é uma das líderes na fabricação de sensores para a automação de fábricas, sistemas logísticos e processos. Referência em tecnologia no mercado, a SICK oferece sensores e recursos de aplicativos para uso industrial criam a base perfeita para controle confiável e eficiente dos processos, tanto para proteger as pessoas de acidentes, quanto para prevenir danos ambientais.

Além disso, conta com uma gama de cerca de 40 mil produtos para atender exatamente o que os clientes precisam.

A matriz da SICK no Brasil fica em São Paulo e a empresa conta com distribuição em todo o território nacional.



Website: http://www.sick.com.br

Website: http://www.sick.com.br