Quatro sinais que indicam a hora de trocar os pneus do carro

Especialistas alertam que más condições de uso podem causar acidentes e afetar o rendimento.

Os pneus influenciam diretamente na segurança do condutor.

Local: Curitiba - PR

Data: 16/03/2021

Dentro da lista de manutenção de veículos, um dos itens obrigatórios são os pneus. Rodar com o carro com os pneus em más condições representa riscos para motoristas e passageiros. É o que alerta Cleyton Kamogawa, gestor de contas da Delinte, marca referência na fabricação de pneus com certificações internacionais. "Os pneus influenciam diretamente na segurança do condutor. Há risco de estouro, instabilidade do veículo em pistas molhadas, maior propensão à derrapagem e risco de multa se estiver abaixo do TWI que precisa ser maior que 1,6mm", alerta o profissional.

De acordo com Kamogawa, quatro sinais principais devem ser observados:

Desgaste/TWI Atingido

O TWI é o índice que torna possível saber se os pneus do veículo estão dentro da vida útil recomendada pelo fabricante. Segundo resolução do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), prevista no Código Brasileiro de Trânsito, o limite máximo de desgaste de um pneu é quando o TWI atinge 1,6mm. Cleyton Kamogawa, da Delinte, explica que "por meio deste indicador, localizado dentro dos sulcos da banda de rodagem do pneu, é possível avaliar o desgaste e definir se é ou não o momento de efetuar a substituição por pneus novos". Ele ainda lembra que a falta de calibragem e de manutenção do veículo podem levar ao desgaste mais rápido dos pneus.

Desgaste irregular

Segundo o profissional, geralmente isso acontece por alguma falha mecânica do carro, por falta de alinhamento ou balanceamento. Outro fator, como a suspensão alterada, também pode comprometer e fazer com que os pneus durem menos que o normal. "Isso sem dúvida pode afetar no consumo do carro e também no desgaste prematuro dos pneus", afirma Cleyton Kamogawa.

Envelhecimento

Bolhas, ressecamento e rachaduras são indicativos de que o pneu pode estar vencido, aponta Cleyton Kamogawa. "Por isso, no momento da compra do veículo ou dos pneus, é importante observar estes sinais e conferir a data de fabricação (DOT), localizada na lateral do pneu, que traz a semana e o ano em que foi produzido. Por exemplo, se o DOT for 0421, ele foi produzido na quarta semana de 2021", esclarece.

Furos ou cortes

Quando o pneu sofre algum dano na parte lateral, pode ser feito um reparo e usado temporariamente até que possa ser feita a troca. "O que pode acontecer no futuro, por ser um pneu com reparo, é algum tipo de infiltração que comprometa a estrutura do pneu", complementa o gestor da Delinte Pneus.

Cuidados que contribuem para uma vida útil mais longa

Cleyton Kamogawa lembra que para garantir uma boa condição de uso dos pneus, o motorista deve realizar o rodízio para que o desgaste seja regular, utilize a calibragem correta indicada no manual do veículo, cheque a pressão quando os pneus estiverem frios e inclua um pneu reserva. "Outra recomendação é realizar o alinhamento a cada cinco mil quilômetros, quando tiver trepidação das rodas ou quando realizar a troca dos pneus junto com o balanceamento", complementa.

Quando for efetuar a troca, o ideal é que os quatro pneus sejam substituídos, porém, quando a opção é trocar apenas dois, a escolha da posição pode influenciar a durabilidade dos itens. "Os pneus novos devem sempre ser colocados atrás porque é a condição que traz mais segurança na frenagem do carro, evitando que ele saia de traseira. E, sempre que possível, utilizar a mesma marca", afirma o profissional da Delinte.





Website: http://www.delinte.com.br

Website: http://www.delinte.com.br