Projeto Eco Rede, auxiliado por banco* digital, forma professores e agentes voltados a ações para o meio ambiente

S PAULO 15/1/2020 – “Com a situação das favelas do Rio de Janeiro, é um prazer para o banQi divulgar o trabalho da ONG Alfazendo…” Victor Santos, CEO e co-founder do banQi.

A Cidade de Deus é uma favela localizada dentro do bairro de Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Conhecida pela sua violência nos anos 60, e que existe até hoje, o local foi retratado no filme do mesmo nome lançado em 2002. A comunidade não nasceu como uma favela e é registrada como bairro, mas vive nesse contexto.

Apesar de todas as dificuldades enfrentadas pela comunidade, muitas pessoas e empresas, tanto internamente quanto externamente, têm projetos de auxílio à comunidade e uma das empresas que divulgam esse trabalho é o banQi, banco* digital, que investe em formação e educação para pessoas de baixa renda.

Um dos projetos que o banQi destaca em seu blog, Heroes of the Community, é o Eco Rede, em conjunto com a ONG Alfazendo, três vezes premiada pela ONU durante a Rio+20, devido a metodologia Participativa Paulo Freire; pela Jornada de Educação Socioambiental.

O Eco Rede atende a 7 mil pessoas por ano, já foi implementado em outras comunidades e já atendeu, em média, 1500 pessoas em 2019. O projeto realiza ações voltadas para a preservação do Meio Ambiente com várias atividades: Formação de Catadores; Formação de Professores; oficinas de preservação do meio Ambiente e reaproveitamento de materiais recicláveis com crianças, jovens e adultos.

Durante a formação dos Catadores são passadas noções de higiene, cuidados com a saúde, manuseio do lixo e informações sobre a Previdência Social. Os coordenadores fazem essa formação em conjunto com uma assistente social que vai periodicamente ao local. Através de uma parceria com as escolas e creches do bairro, foram implantados Ecopontos que são pontos de coletas seletivas/solidárias.

Nesses locais foram colocados recipientes, onde professores e alunos descartam todo o lixo reaproveitável produzido por todos. Depois de passar pela formação o Catador é associado a uma escola ou creche e quando o recipiente está cheio as instituições entram em contato com o projeto avisando e o projeto informa aos Catadores.

Em geral, os moradores da comunidade também estão envolvidos nesse processo. A ONG Alfazendo cede os recipientes para estocar o material reciclável e empresta os carrinhos para o transporte do mesmo. Essa ação tem diversos resultados: preservação do meio ambiente, geração de renda para os catadores e aumento da autoestima de cada um, menos lixo nas ruas e rios e conscientização de todos.

“Com os professores fazemos primeiro um trabalho de conscientização, discutimos sobre o cuidado com o meio ambiente e a importância do papel deles na vida daquelas crianças. Depois dessa reflexão fazemos uma dinâmica, apresentamos slides sobre metodologia Participativa Freireana e no final montamos em conjunto bonecas, carrinhos e outras peças, tudo com materiais recicláveis. Muitos professores mudam seus pensamentos e multiplicam o que recebem com seus alunos, o retorno é muito bom”, afirma Lidiane Santos, uma das coordenadoras do projeto.

Ajuda na renda para permanência na escola

Além de todo o processo de conscientização para o meio ambiente, os jovens e coordenadores tiveram ajuda de custo por três meses, para auxiliar nas despesas de casa e sendo um incentivo para que eles foquem nos estudos.

“A maioria dos jovens de favela não têm a oportunidade de terminar o Ensino Médio. Quando o Alfazendo iniciou o processo de educação, de formação de jovens foi justamente para que entendessem que eles têm direito aos serviços básicos e uma educação de qualidade. Se ele entra no mercado de trabalho e tem oito horas do seu dia ocupado por isso, no final do dia, quando for para a escola, não terá um bom rendimento. Participando de um projeto, passando por um processo educativo e ao mesmo tempo recebendo uma ajuda de custo ele tem a possibilidade continuar na escola. Segundo dados do IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, 60% dos jovens de Cidade de Deus saem da escola depois de concluído Ensino Fundamental ou antes da conclusão. O motivo é sempre o mesmo, tem que trabalhar para ajudar no sustento da família ou sustentar a si mesmo. De certa forma, os jovens que estão aqui têm o privilégio de terminar o Ensino Médio com tranquilidade. O projeto Eco Rede abre um leque de opções para esses meninos pois, quando saem pra vida lá fora, estão qualificados; sabem planejar, avaliar, monitorar processos, estão aptos ao para trabalho em equipe, têm consciência do que é respeito e metodologia participativa. Mais que um processo de geração de trabalho e renda é uma formação para a vida”, diz Lidiane.

“Com a situação das favelas do Rio de Janeiro, é um prazer para o banQi divulgar o trabalho da ONG Alfazendo para que ela possa continuar a desenvolver suas atividades, seguir com a Metodologia Participativa que aplica dentro das favelas e garantir o direito dos jovens moradores desses locais, levando uma maior qualidade de vida dos moradores de Cidade de Deus”, completa Victor Santos, CEO e co-founder do banQi.
Para doar: PayPal: alfazendo@ig.com.br

Website: http://banQi.com.br

Web Site: